Post ao acaso

GalizaGaliza

Procurar

Recent Posts

    • Alma minha, cuida-te da pompa e a glória. E se não puderes refrear as tuas ambições, vai, pelo menos, atrás delas hesitante, cautelosamente. E quanto mais alto estiveres, mais incisivo e cuidadoso tens de ser. E quando atingires o cume, César por fim –…
    • Avaro amor, porque é que vais reter em ti somente a herança de beleza? Empresta, nada dá, a natureza, livremente mas só a quem livre der. Sovina da beleza, porque abusas daquilo que foi dado para dares? Usurário sem ganho, porque usares, sem poderes…
    • Na ribeira, a brisa inclina a relva fina e o alto mastro parece solitário no meu bote. As estrelas espalham-se tão perto da planície aberta, e a lua ondula sobre o rio Yangtzé. De que vale a fama, o estátus de grande poeta? O que é sujeito a doença e a…
    • Olha no espelho a tua face e diz “é tempo de uma nova já criares fresca", se deceção não desejares roubando ao mundo o que uma mãe bendiz. Quem, de ventre virgem, é a arrogante que desdenhe a semente que tu enterras? Quem de vaidade tal cavada em terra…
    • Aos quarenta invernos da tua frente, arando no teu rosto fundas linhas, nada será senão ervas daninhas a rica galhardia do presente. Se então buscarem o que foi de tanta beleza havida nos teus dias idos, resposta dares é de olhos fundidos louvor inútil…
    • Dos seres belos que o desejo anela, não morre da beleza aquela rosa, e a herdeira guarda imagem memorosa se vier com o tempo a morte dela. Mas tu, ao brilho dos teus olhos dado, para essa luz a lenha que és consomes, onde há abundância produzindo fomes…
    • O tempo do ano vês em mim, coitado, do amarelo das folhas que não duram nos galhos gélidos em que penduram, ruinas do coro de aves silenciado. Talvez vejas o sol daquele dia, depois de o ocaso ido no Ocidente, que a noite escura leva, e nos dormentes,…
    • A chuva rugiu e foi-se. Agora é limpa a noite de outono. A água veste uma pátina dourada e leva uma estrela brilhante de jade. O rio Songhuajiang passa limpo e puro com a delicadeza de sempre. O pôr-do-sol enterra as montanhas em sombra. Um espelho…
    • Este espaço no mundo é uma cantiga. Esta cantiga cresce no ritmo das raízes. Estas raízes imitam formas do coração. Nada lhes peças. Nada lhes dês. Nada ofereças. Tu que és o espaço a cantiga as raízes o coração recolhe dignamente o que te deram, e…
    • Se mantiveres a cordura quando tudo à tua volta está a perder a sua e te culpabiliza por isso, se puderes confiar em ti próprio quando todos duvidam de ti mas permitires também que exista a dúvida; se puderes esperar, mas não te cansares na espera, se…
b2evolution